Carregando...

Notícias

Crioterapia

Definição
De acordo com Rodrigues e Guimarães (1998), é o resfriamento e ou diminuição da temperatura dos tecidos com finalidades específicas, proporcionando uma variedade de benefícios. O termo crioterapia significa, literalmente, “terapia pelo frio”, onde os profissionais de estética se valem de seus efeitos para realizar tratamentos.
Um dos principais benefícios está relacionado com a diminuição de adiposidade localizada, para Ciporkin e Paschoal (1992). O panorama histórico da Crioterapia, segundo Knight (2000),mostra que antes de Cristo (a.C.) os gregos e romanos utilizavam a neve e o gelo natural para curar os problemas médicos, já em 1800 foram escritos livros e artigos sobre a crioterapia; as compressas geladas são usadas para ferimentos infamados.

Ação
Quando o tecido é submetido ao frio o organismo tende a termogênese, com isto a primeira ação do organismo é aumentar esta temperatura, por isto, utiliza sua maior reserva energética que é a gordura corporal, produzindo localmente uma reação termodinâmica provocada pela combustão dos lipídeos (sejam os que circulam ou os que estão depositados nos tecidos), a energia utilizada pelo nosso organismo, em grande parte, é oriunda de degradação da glicose.
Nessa tentativa de compensar o diferencial calórico, é utilizado o nível da glicose plasmática (obviamente não em sua totalidade) e quando esses níveis estiverem em queda, os mecanismos de regulação endócrina da glicemia se encarregarão de mobilizar as reservas calóricas (gordura), daí sua indicação para tratamento de Lipodistrofa Localizada. Segundo Guirro e Guirro (2002) a redução da temperatura local causada pela crioterapia, diminui o metabolismo que, por sua vez, diminui a demanda de oxigênio e nutrição para as células. A partir do resfriamento o sistema nervoso periférico, estimula receptores térmicos e induz a vasodilatação, essa indução também acarreta um aumento no metabolismo e no consumo das reservas energéticas a fim de manter a temperatura habitual.
Método criado na França, e consiste basicamente na aplicação de um produto Crioterápico (líquido ou gel) no local em que se quer a ação. Ao aplicar diretamente o frio à pele, os vasos cutâneos contraem-se cada vez mais até chegar à máxima vasoconstrição (determinada pela evaporação do produto) provocando redução da temperatura do corpo (de 36,5°C para 30°C).
Vasoconstrição periférica: é um efeito direto sobre os termorreceptores cutâneos, que assimilando a queda da temperatura, levarão aos vasos uma informação para evitar a perda de calor, o que representa prejuízo para a atividade celular.
Vasodilatação profunda: conseqüência do que ocorre superficialmente, pois tende, através da dilatação dos vasos mais calibrosos, compensar a baixa temperatura dos tecidos, para manter a homeostase (equilíbrio) corporal.

Forma de utilização
Para Guirro e Guirro (2002, p. 102) a forma mais utilizada da crioterapia que tende a apresentar um melhor resultado é a bandagem fria e o gel crioterápico que tem como principio básico reduzir a temperatura local.
O enfaixamento além de proporcionar uma melhora qualitativa do resfriamento, mantém a área resfriada por um período de tempo maior. O tempo de aplicação varia de acordo com a espessura, podendo oscilar entre trinta e sessenta minutos.

Indicações
–  Lipodistrofa localizada,
–  Flacidez tissular.

Contraindicações
–    Hipertensão  arterial,
–    Diabetes,
–    Gravidez,
–    Patologias da pele,
–    Logo após as refeições,
–    Processos infamatórios,
–    Região dos rins,
–    Articulações,
–    Pulmões,
–    Asma e bronquite,
–    Intolerância ou hipersensibilidade ao frio,
–    Período menstrual.

© CIA - 2017

Todas as marcas, textos e imagens tem direitos reservados e devem ser respeitados.